A importância da conexão pilar-implante na higidez do tecido peri-implantar

As conexões pilar-implante são de extrema importância nas reabilitações sobre implantes dentários uma vez que influenciam o comportamento mecânico de todo o sistema e a consequente resposta dos tecidos peri-implantares (Freitas AC et al., 2011).

 

As conexões externas adaptam-se a uma extensão do corpo do implante denominada plataforma do implante. Nas conexões internas a assentamento ocorre na porção interna do corpo do implante (Dittmer S et al., 2011). Essas conexões podem ser chamadas de intermediários, pilares protéticos, componente transmucoso e “abutment”.

 

As conexões internas, devido ao contato friccional com o implante dentário (sobreposição de cones) parecem apresentar melhor selamento biológico e melhor distribuição das forças frente as conexões externas (Silva Neto JP et al., 2011).

 

A utilização de pilares/intermediários nas reabilitações implanto-suportadas  amenizam as distorções originadas da confecção das estruturas protéticas. Além disso, com a utilização dos “abutments”, ocorrerá uma melhora na distribuição das forças geradas protegendo o interior do implante instalado e aumentando a resistência a fratura do mesmo (Moris ICM et al., 2012 ;  FACO EFS, 2013).

A DSP Biomedical disponibiliza ao mercado três implantes dentários com conexão interna: Implante Cone Morse Indexado (CMI), Hexágono Interno Morse (HIM) e Cone Morse Hexagonal (CMH) com conicidade de 11o30’, 22 o30’ e 40o, respectivamente.

 

2017-05-28-PHOTO-00001093

Dentro dessa filosofia ocorreu no dia 26 de maio de 2017 no Centro de Ensino Odontológico da Ilha (CEOI) um hand’s on protético no curso de especialização de prótese dentária.  Fazem parte do corpo docente do curso de especialização em prótese dentária da CEOI, localizado na cidade de Florianópolis/SC o Prof. Dr. Dante Del Vale Valcanaia; Prof. Dr. Túlio Del Conte Valcanaia, Prof. Esp. Marcos Antonio Souza, Prof. Msc. Adroaldo dos Santos Bochi e Prof. Msc. Diego Fiori Morozi.

O curso teórico-prático foi conduzido pelo consultor científico da DSP Biomedical Prof. Msc. Ricardo Denardi que teve por objetivo o manuseio e conhecimento de todos os componentes/intermediários da linha DSP Biomedical. Através do hand’s on protético foi possível a diferenciação entre as diferentes conexões pilar-implante bem como, a sequência clínica necessária para uma completa reabilitação implanto-suportada.

IMG_6322

 

Referências Bibliográficas

Dittmer S, Dittmer M, Kohorst P, Jendras M, Borchers L, Stiesch M. Effect of implant-abutment connection design on load bearing capacity and failure mode of implants. J Prosthodont. 2011; 20:510-516.
FACO, Eduardo Francisco de Souza. Avaliação da resistência à fratura e tensões em diferentes implantes e conexões protéticas: Análise in vitro e MEF-3D. 2013. 86 f. Tese (doutorado) – Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Odontologia de Araçatuba, 2013.
Freitas AC, Bonfante EA, Rocha EP,Silva NR, Marotta L, Coelho PG. Effect of implant connection and restoration design (Screwed vs. Cemented) in reability and failure modes of anterior crowns. Eur J Oral Sci. 2011;119:323-30.
Moris ICM, Faria ACL , de Mattos MGC ,Ribeiro RF , Rodrigues RCS. Mechanical analysis of conventional and small diameter conical implant abutments. J Adv Prosthodont 2012; 4 (3): 158-61.
Silva NETO JP, Prudente MS, Carneiro TAPN, Nobilo MAA, Penatti MPA, Neves FD.Micro-leakage at the implant-abutment interface with different tightening torques in vitro. J. appl. Oral sci. 2012; 20(5).

Comentários

comentários