Alternativas Cirúrgicas e Protéticas do Sistema DSP Biomedical na CAPO, em Alfenas-MG

Na reabilitação oral, os implantes dentários têm se tornado o tratamento de eleição em boa parte dos casos clínicos, tanto pela sua previsibilidade quanto pela alta taxa de sucesso. Os implantes dentários são hoje uma excelente forma de solucionar ausências dentárias unitárias, parciais e totais, além dos problemas da mastigação, proporcionando saúde e bem-estar (Kragskov et al., 2006). Para tanto, o planejamento pré-operatório é essencial para um tratamento com sucesso a longo prazo (Rocci et al., 2012).

Inicialmente, foi proposto um tempo de cicatrização de 3 a 4 meses para mandíbula e 6 a 8 meses para maxila para reabilitação protética após a instalação do implante. Em uma revisão sistemática com ensaios clínicos controlados randomizados (Esposito et al., 2007), os autores concluíram que a carga imediata no tratamento com implantes pode ser tão efetiva quanto o tratamento convencional. Além disso, no estudo clínico não controlado de Rocci et al. (2012) concluíram que a carga imediata em cirurgias sem retalho têm alta previsibilidade. No entanto, a qualidade óssea da região e o torque de instalação do implante influenciam diretamente no sucesso desse tratamento (Esposito et al., 2007).

Para a cirurgia convencional com implantes, o retalho mucoperiosteal é tradicionalmente elevado para melhorar a visualização do sítio receptor dos implantes dentários e identificar e proteger estruturas nobres existentes nesta região. Quando a quantidade óssea avaliada é limitada, o retalho pode ajudar na instalação do implante reduzindo o risco de fenestrações e perfurações ósseas. No entanto, essa manobra requer a execução de suturas que podem apresentar considerável grau de morbidade e desconforto ao paciente com potencial desenvolvimento de deiscência do retalho e reabsorção óssea ao redor de dentes naturais (Ozan et al., 2007).

Uma das principais maneiras de evitar estes problemas são as cirurgias flapless, ou seja, sem a realização de retalhos. Esta é uma técnica minimamente invasiva que oferece a possibilidade de instalar implantes com menor tempo cirúrgico, sangramento e melhor pós-operatório para o paciente (Ravindran et al., 2010).

Essa técnica tem a importante vantagem de preservar a crista óssea alveolar e a saúde da mucosa além de favorecer o aumento da taxa de sucesso dos implantes dentários (Wittwer et al., 2007; Jeong et al., 2011). No entanto, a cirurgia flapless é um procedimento que impede a visualização da quantidade e qualidade óssea tornando-se um procedimento que exige planejamento adequado para o tratamento e de exames complementares prévios. A utilização da Tomografia Computadoriza (TC) nas cirurgias guiadas ajuda a minimizar o risco de perfuração e alinhamento incorretos dos implantes durante o procedimento cirúrgico além de proteger estruturas vitais (Elion 2008; Cannizzaro et al., 2011) caracterizando uma evolução técnico-científica no conceito de reabilitação com implantes osseointegrados (Hultin et al., 2012).

 

Dentro desta filosofia a CAPO especializacão em Odontologia situada na cidade de Alfenas-MG  oferece curso teórico, clínico e laboratorial com fases cirúrgica e protética, alinhando conhecimentos nas áreas de periodontia, implantodontia, cirurgia e traumatologia Buco-maxilo-Facial e Prótese. O conteúdo programático é preparado para que o especializando atinja a excelência na reabilitação protética implanto-suportada de seus pacientes; Sistema Cone Morse, plataforma switching; novos biometarias: Regeneração óssea guiada; técnicas modernas para levantamento de seio maxilar e reconstruções de rebordos atróficos: utilização do plasma rico em fibrina; cirurgias plásticas peri-implantares, técnicas de enxerto de tecido conjuntivo subepitelial e utilização de substitutos mucosos; implantes imediatos e carga imediata; condicionamento gengival; CAD /CAM; uso de microscopia operatória; tratamento e prevenção da peri-implantite; terapia fotodinâmica, antimicrobiana e probióticos. Dentro da grade científica a DSP Biomedical no 4 de março de 2017 visando treinamento intensivo de técnicas cirúrgicas e protéticas, bem como conhecimento do sistema, ofereceu um hand’s on com a linha de implantes e soluções protéticas que a empresa oferece. O ponto alto aconteceu com apresentação e hands on de cirurgia assistida por computador – Cirurgia Guiada estática, os alunos além da parte teórica puderam manusear kits, implantes e guias cirurgicas e aplicar no hands on. 

02

O curso coordenado pelo Prof. Dr. Michel Messora, tendo como professores Prof. Dr. Laner Botrel Rosa, Profa. Dra. Flavia A.C Furlaneto Messora, Prof. Luiz Fernando Ferreira de Oliveira  e Prof. Gabriel Fiqueiredo Bastos contou com a presença dos alunos Bruna Assunção Vitor, Caroline Aparecida Teodoro, Celso Antonio Gracia, Danilo Silva Correa Barroso, Diego da Silva Barroso, Fabio de carvalho Machado, Felipe Jose costa Pieroni, Helluany Marques Lopes, Maico Goulart Carvalho Dias, Neylor Marques Gomes e Silas henrique Rabelo que Prof. Msc Ricardo Toscano Diretor cientifico da DSP Biomedical como ministrante. 

 

Referências

A AVALIAÇÃO DO TECIDO PERI-IMPLANTAR COMPARANDO AS TÉCNICAS COM RETALhO E SEM RETALhO: REVISÃO DA LITERATURA: Maria Helena de Siqueira Torres Morais1, Anderson Nicolly Fernandes-Costa2, Karyna de Melo Menezes3, Ivana Maria Zaccara Cunha Araújo4, Hugo de Almeida Varela5, Bruno César de Vasconcelos Gurgel6

Kragskov J, Sindet-Pedersen S, Gyldensted C, Jensen KL. A comparison of three-dimensional computed tomography scans and stereolithographic models of evealuation of craniofacial anomalies. J Oral Maxillofac Surg 2006; 54(4):402-11.

Rocci A, Rocci M, Scoccia A, Martignoni M, Gottlow J, Sennerby L. Immediate loading of maxillary prostheses using flapless surgery, implant placement in predetermined positions, and prefabricated provisional restorations. Part 2: a retrospective 10-year clinical study. Int J Oral Maxillofac Implants 2012; 27(5):1199-1204.

Esposito M, Grusovin MG, Willings M, Coulthard P, Worthington HV. Interventions for replacing missing teeth: different times for loading dental implants. The Cochrane Library 2013; (4): CD003878.

Ozan O, Turkyilmaz I, Yilmaz B. A preliminary report of patients treated with early loaded implants using computerized tomography-guied surgical stents: flapless versus conventional flapped surgery. J Oral Rehabil 2007; 34(11):835-840.

Ravindran DM, Sudhakar U, Ramakrishnan T, Ambalavanan N. The efficacy of flapless implant surgery on soft-tissue profile comparing immediate loading implants to delayed loading implants: A comparative clinical study. J Indian Soc Periodontol 2010; 14(4):245-51.

Wittwer G, Adeyemo WL, Wagner A, Enislidis G. Computer-guided flapless placement and immediate loading of four conical screw- type implants in the edentulous mandible. Clin Oral Impl Res 2007; 18(4):534-539

Elian N, Jalbout ZN, Classi AJ, Wexler A, Sarment D, Tarnow DP. Precision of flapless implant placement using real-time surgical navigation: a case series. Int J Oral Maxillofac Implants 2008; 23(6):1123-1127.

Hultin M, Svensson KG, Trulsson M. Clinical advantages of cimputer guided implant placement: a systematic review. Clin Oral Implants Res 2012; 23(Suppl.6):124-135.

 

Comentários

comentários