Implantodontia é sinônimo de qualidade de vida

10-11

Especialista em próteses dentárias, o presidente da Sociedade Boliviana de Implantologia, Amilkar Rocha, assegura que a tecnologia mudou a maneira de pensar e trabalhar em Odontologia. Para ele, as radiografias digitais, as imagens em 3D e outras soluções proporcionam diagnósticos mais precisos e confiáveis, com resultados mais seguros.

Mestre em Implantodontia pelo Instituto Latino-Americano de Pesquisa e Ensino Odontológico (ILAPEO), Amilkar sugere nesta entrevista para a Revista DSP Biomedical que os tratamentos em implantodontia deveriam ser inseridos nos planos de saúde, uma vez que são determinantes para a melhoria da qualidade de vida dos pacientes.

______________________________________________________________________________________________________________________________________

REVISTA DSP – Como as inovações tecnológicas têm contribuído para o avanço da Odontologia e, em especial, a implantodontia no Brasil e no mundo?

Amilkar Rocha – A tecnologia mudou a nossa vida, a maneira de pensar e trabalhar em Odontologia. Há alguns anos, eu tratei a neta de um dentista famoso da minha cidade, agora aposentado. Quando terminei o procedimento, o colega me agradeceu e comentou que a coisa mais impressionante foi ver uma radiografia digital (radiovisiography). Lembrou que as primeiras radiografias dentais exigiam várias horas para serem processadas e reveladas, além de submeterem o paciente a uma alta dose de radiação. Hoje, temos o resultado na tela do computador em questão de segundos e sem riscos. Antes, o tratamento era limitado pelo alcance de uma prótese removível, pacientes queixavam-se de dor. Com toda essa mudança, o tratamento com implantes pode oferecer prótese com 90% de semelhanças estéticas dos dentes naturais.

 

REVISTA DSP – Quais as principais técnicas que são adotadas pelos dentistas e que otimizam o seu trabalho e para a reabilitação oral?

Amilkar Rocha – Em minha opinião, o planejamento inverso é o método mais confiável e seguro para evitar contingências de um tratamento de reabilitação e dá ao paciente um olhar muito atento sobre os resultados antes de executar o tratamento, o que ajuda na comunicação com o mesmo. Imagens 3D com as quais trabalhamos hoje nos permitem diagnósticos mais confiáveis ao fazer procedimentos precisos e de baixo risco. Este diagnóstico auxiliar permitiu um enorme salto ao se transformar em um auxiliar terapêutico, com a chegada da CAD/CAM, uma vez que nos permite realizar guias cirúrgicos, protótipos de ossos ou moagem e imprimir as próteses. A osseointegração e a carga imediata em implantes para um paciente totalmente desdentado, a ideia de voltar a ter dentes em apenas um dia é como um sonho e nos vem permitindo tratar um tipo de deficiência que não era possível anteriormente. A adesão, que nos permite hoje falar de novas especialidades como a odontologia estética e odontologia minimamente invasiva, para se especializar. Eu poderia seguir citando técnicas e tecnologias que mudaram a nossa forma de trabalho nos últimos 20 ou 30 anos, mas creio que uma de nossas maiores realizações foi não gerar mais medo nos pacientes e transformar nossos consultórios em verdadeiros spas de Odontologia e beleza.
REVISTA DSP – Quais as vantagens e benefícios das tecnologias e técnicas para o trabalho do dentista e para a qualidade de vida do paciente?

Amilkar Rocha – Os primeiros beneficiários são os dentistas, já que a tecnologia nos oferece procedimentos diagnósticos e terapêuticos mais confiáveis e amplia nossa visão de uma Odontologia restauradora preventiva e estética. Devolver as funções mastigatórias ao paciente, bem como as funções fonética e estética sem muito trauma cirúrgico, com tratamentos rápidos, precisos e duradouros mudou a visão de nossos pacientes sobre a “Odontologia da dor à Odontologia estética”.

 

REVISTA DSP – Como o senhor procede para se atualizar em relação às técnicas de implantes dentários?

Amilkar Rocha – Sou a favor da especialização universitária formal, atualizações, mestrados e doutorados, cursos dos quais participo todo o tempo. No entanto, devo mencionar que ser um professor em diversos cursos ou conferencista em congressos obriga aos profissional atualizar-se constantemente e também buscar as redes de internet em busca de evidências científicas e achados clínicos.

 

REVISTA DSP – A nanotecnologia tem contribuído para o avanço da implantodontia?
Amilkar Rocha – Sem dúvida alguma, temos deixado de esperar a osseointegração “manipular a resposta óssea” e aumentar os contatos no implante, além de induzir a formação óssea e acelerar o tempo de trabalho com melhores resultados.

 

REVISTA DSP – Como estender os benefícios da tecnologia e dos implantes dentários a um maior número de pacientes?
Amilkar Rocha – Eu acho que hoje os custos são relativos e não vejo grandes diferenças econômicas por causa da expansão da indústria. Creio que os países deveriam levar em conta a implantologia e implementá-la nos planos de seguro de saúde como tratamentos de grande importância para a qualidade de vida dos pacientes que tenham a cobertura deste método maravilhoso.

 

Comentários

comentários