Implante dentário 2,5 mm como opção para reabilitação de rebordos severamente atróficos

Relato de Caso produzido por Dr. Ricardo Denardi e Dr. Ricardo Toscano

Os problemas de saúde bucal tem sido cada vez mais reconhecidos como importantes causadores de impacto negativo no desempenho diário e na qualidade de vida dos indivíduos e da sociedade. Além de alterações estéticas e funcionais, as ausências dentais provocam sofrimento, constragimentos psicológicos e privações sociais que ocasionam prejuizos individuais e coletivos.
Pacientes com atrofias de rebordos usualmente apresentam dificuldades quanto ao uso de próteses totais removíveis, devido a falta de estabilidade, intolerância à carga pela mucosa, dor, dificuldade de alimentação e dicção, perda do suporte de tecido mole adjacente e alteração da aparência facial.
A necessidade de reabilitação protética em região posterior das arcadas superior e inferior atrófica é extremamente presente na clínica.
A indicação de implantes osteointegraveis nessas regiões fica atrelada à disponibilidade óssea (qualidade e quantidade), que deve ser suficiente também para garantir o posicionamento correto e um resultado estético favorável.
Atualmente, com a evolução das ligas de titânio, implantes curtos e de diâmetro reduzido têm sido desenvolvidos e empregados com segurança na rotina clínica.
Estes implantes têm sido empregados como alternativa para evitar técnicas reconstrutivas, tais como enxertos em bloco, e como alternativa para tornar os tratamentos mais rápidos e com menor desconforto aos pacientes.
Estes implantes estreitos também podem ser utilizados como implantes imediatos e também podem receber torques que possibilitem a realização de carga imediata .
Embora ainda existam poucos estudos controlados e com acompanhamento em longo prazo, o uso de implantes de diâmetro reduzido, tanto imediatos como com carga imediata, é uma necessidade, e o seu emprego pode ser realizado com segurança para a obtenção de função e estética.
Este relato de caso clinico tem por objetivo demonstrar a viabilidade clinica de aplicação dos implantes 2,5mm da empresa DSP Biomedical (Campo Largo-PR) no restauro cirúrgico utilizando prótese retida por parafuso no restauro protético.

CASO CLÍNICO

Paciente com 56 anos, do gênero masculino, apresentou-se no DSP Science training center (Campo Largo-Pr) , com ausência de múltiplos dentes na arcada superior e inferior.

O paciente relatou conhecimento da condição anatómica limitada do leito ósseo vestíbulo lingual/palatal para reabilitação com implantes dentários de diâmetros regulares.

Relatou o anseio de não mais usar próteses parciais removível, justificado pela sua atividade vocal de um conjunto musical. Sua queixa principal é a dificuldade de pronuncia e dicção de palavras seguida da queixa da estética comprometida pelos grampos. A característica da prótese ser removível lhe proporciona constrangimento quando da necessidade de higienização em ambiente coletivo este contexto motivou sua busca por opções reabilitadoras protéticas fixas com implantes que não envolvessem enxerto ósseo.

caso clinico 1 revista 4

Tomografia Computadorizada superior inicial 

A analise clinica e das imagens ( radiografia panorâmica e tomografia) permitiu observar que nas regiões onde se pleiteiava a instalação dos implantes observou altura suficiente variando de 16mm a 22mm porem a espessura variando de 3.28 mm.

O plano de tratamento proposto ao paciente de utilização de implantes de 2,5mm da empresa DSP Biomedical Campo Largo -Pr) evitaria enxerto ósseo e possibilitaria angulação correta para restauro protético com retenção por parafuso. Na região do 26, 34 e 36 o planejamento de elementos unitários, na região 45, 46 e 47 os elementos protéticos ficariam splintados.
Aprovado o plano de tratamento, o paciente foi submetido ao procedimento cirúrgico. A fresagem foi realizada usando fresa 1.6mm da DSP Biomedical ( Campo Largo – Pr) no comprimento total do implante. A instalação do implante se inicia manualmente digitalmente e finaliza com uso do torquimetro direto no montador do implante. Ao finalizada a instalação do implante e removido o montador e instalado o cilindro de proteção. Apos um período de 4 meses de espera as próteses foram confeccionadas de acordo com o planejamento.Como este implante e de corpo único o componente FlexCone (DSP Biomedical) e usinado no próprio implante.

02

Imagem 3d da mandíbula

03

Tomografia Computadorizada Inferior inicial 

04

Tomografia Computadorizada Inferior inicial 


O Implante Flexcone Slim apresenta rosca cônica trapezoidal auto cortante de diâmetro de 2,5mm . Sua principal característica é seu formato que permite múltipla solução protética. Sua plataforma é regular 4.0mm. e altura de 2,6 mm Aplicável onde há restrição muito grande de paredes ósseas. Indicado para tábua óssea muito delgada.

A fresagem indicada para uso do implante Flexcone Slim se faz com a fresa 1,6mm para osso tipo II, III e IV para osso tipo I usa-se 2.0 como opcional. A velocidade de rotação para perfuração e de 800 rpm e rotação de inserção e de 20 a 30 rpm com torque de inserção 35 a 55 Ncm. O implante vem montado e sobre o montador existe uma peça plástica de nome badock. A captura e transporte do implante se faz com o badock até a posição cirúrgica, após inserir o implante e apertar com pressão digital o implante no leito preparado, se remove o badock e se fixa o torquímetro sobre o montador instalando o implante ate sua estrutura com tratamento de superfície. A remoção do montador se faz com uso da chave 1.2.

Para elementos unitários usa-se tranfers anti rotacional e para moldagem de elementos parciais múltiplos se usa transfer rotacional, a escolha de transfers de moldeira fechada ou moldeira aberta se faz pela destreza de cada reabilitador. Para confecção das próteses unitárias foi utilizada ucla do Flexcone de cromo cobalto antirotacional (DSP Biomedical) e para prótese multipla ucla de cromo cobalto rotacional DSP Biomedical ( Campo Largo-Pr ). A protese foi confeccionada com estrutura de metal revestida de cerâmica com características que permitem higienização adequada. Após a instalação e a realização de ajustes necessários, a fonética foi testada e mostrou satisfatória , assim como o suporte labial e harmonia facial.

05

06

07


Referências bibliográficas

1- Midorikawa ET. A odontologia em saúde do trabalhador como uma nova especialidade profissional: definição do campo de atuação e funções do cirurgião dentista na equipe de saúde do trabalhador. Dissertação (mestrado)- Faculdade de odontologia da universidade de São Paulo: 2000. 3371
2- Stellingsma C, Vissink A, Meijer HJA, Kuiper C, Raghoebar GM. Implantology and the severely resorbed edentulous mandible. Crit Rev Oral Biol Med. 2004: 15(4): 240-8.
3- Gerritsen AE, Allen PF, Witter DJ, Bronkhorts EM, Creugers NHJ. Tooth loss and oral -health related quality of life: a systematic review and meta- analysis. Health Qual Life outcomes 2010;8;126-37
4- Felice P, Pellegrino G, Checchi L, Pistilli R, Esposito m. Vertical augmentation with interpositional blocks of anorganic bovine bone vs. 7-mm- long implants in posterior mandibles: 1-year results of a a randomized clinical trial. Colin oral implants Res. 2010; 21(12): 1394-403.
5- Stellingsma K, Raghoebar GM, Meijer HJ, Stegenga. The extremely resorbed mandible: a comparative prospective study of 2-year results with 3 treatment strategies. Int J Oral Maxillofac Implants. 2004;19(4);563-577
6- Klein MO, Schiegnitz E, Al-Nawas B.Systematic review on success of narrow-diameter dental implants.Int J Oral Maxillofac Implants. 2014;29 Suppl:43-54
7. Carlsson GE, Omar R. The future of complete dentures in oral rehabilitation. A critical review. J Oral Rehabil 2010;37:143–156.
8. Narby B, Kronstrom M, Soderfeldt B, Palmqvist S. Changes in attitudes toward desire for implant treatment: A longitudinal study of a middle-aged and older Swedish population. Int J Prosthodont 2008;21:481–485.