MACROGEOMETRIA DOS IMPLANTES CÔNICOS DA DSP BIOMEDICAL PROMOVEM ESTABILIDADE PRIMÁRIA FAVORECENDO A BIOLOGIA EM REABILITAÇÕES IMPLATOSSUPORTADAS. 

A estabilidade primária dos implantes osseointegrados representa um dos fatores que exercem influência no índice de sucesso na Implantodontia. A estabilidade primária é caracterizada pelo um íntimo contato entre o implante e a estrutura óssea apresentando como fatores potencializadores: instrumentação, densidade óssea e macrogeometria dos implantes.

A geometria do implante pode se apresentar com um desenho macroscópico cilíndrico ou cônico e, associado ao formato das roscas, objetiva dissipar as forças mastigatórias para o osso cortical e trabecular. A estabilidade dos implantes total resume-se na soma entre a estabilidade primaria e a estabilidade secundaria. A estabilidade primária dos implantes osseointegráveis pode ser conceituada como estabilidade mecânica, solidez, rigidez e resistência ao movimento do implante obtida no momento da inserção. A estabilidade secundária por sua vez é obtida com a osseointegração e depende do contato entre a superfície do implante e o osso neoformado sem interposição de tecido conjuntivo. A estabilidade total diminui nas primeiras semanas, atinge um patamar mínimo e volta a crescer quando a estabilidade secundária obtida com a osseointegração predomina em relação à primária.

Os implantes instalados com alta estabilidade primária podem ser submetidos às técnicas de estágio único, também denominadas de carga imediata.  Essa técnica consiste em restabelecer a função, através de prótese implanto-suportada, em oclusão até 72 horas após a cirurgia. Para a osseointegração ocorrer o implante deve apresentar micro movimentos entre 50 a 150μm. Sendo a estabilidade primária a resistência ao movimento do implante, quanto maior a estabilidade, menores serão os micros movimentos. Outro benefício que a técnica de carga imediata proporciona é a redução no tempo de tratamento do paciente, uma vez que, para implantes menos estáveis, os clínicos tendem a aguardar um maior tempo para que a osseointegração se consolide antes de iniciar a reabilitação protética do paciente.

Dentro desse contexto, foram desenvolvidos implantes cônicos, inicialmente concebidos especialmente para instalação de implantes imediatos após extrações dentária. Além disso atualmente se observa uma  melhorar na estabilidade do tecido periimplantar e facilitar sua instalação em espaços reduzidos entre dentes naturais adjacentes. A teoria para a utilização dos implantes cônicos é proporcionar um grau de compressão das trabéculas em um sítio de osso pobre em qualidade e uma melhor distribuição das forças no osso circundante, criando assim uma compactação mais uniforme do osso nas paredes adjacentes em comparação aos implantes de paredes paralelas. Desse modo, quando inserido, o implante cônico cria uma compressão lateral no osso, promovendo uma maior estabilidade primária nos implantes e diminuindo a micro movimentação, fatores que são fundamentais para a possibilidade de utilização da carga imediata.

A somatória entre a diminuição do diâmetro do implante e seu formato cônico permite manter um remanescente ósseo adequado ao redor de todo o implante, evitando reabsorções ósseas e comprometimentos estéticos desagradáveis.

Descrição do produto

Apresenta uma plataforma shift com principal característica do travamento protético através da soldadura fria com pressão de rosca. Com este vedamento os tecidos periimplantares permanecem mais saudáveis pela diminuição do infiltramento inflamatório. Possui interface protética única e alta resistência mecânica. Sistema de captura e inserção através de chave hexagonal. Linha protética para indexação do componente protético traz uma facilidade na utilização como componente unitário ou quando exige precisão na localização. Material de manufatura e o titânio grau IV e tratamento de superfície Sandblasted large Grift Acid etching.

Os implantes cônicos da DSP Biomedical estão disponíveis comercialmente nos diâmetros 3.5mm; 3.8mm, 4.3 mm e 5.0mm com medidas de comprimentos de 8,5mm, 10mm, 11,5mm, 13mm e 15mm.

Descrição de uso

A instrumentação é feita com brocas cônicas especificas da DSP Biomedical. Para instalação do implante 3,5 mm inicia-se com a lança 2.0mm seguida da fresa cônica para implantes 3.5mm. Para implantes 3.8mm inicia-se com lança 2.0mm seguida da fresa cônica 3.8mm. Para implantes 4.3mm inicia-se com a lança 2.0mm e,  na sequência, as fresas cônicas 3.8mm e 4.3mm. Finalmente, para implantes 5.0mm cônicos inicia-se com a lança 2.0mm e na sequência as fresas cônicas 3.8mm, 4.3mm e 5.0mm. Após a fresagem concluída faz-se a captura o implante com chave de contra ângulo e se inicia a inserção no leito cirúrgico. A finalização da instalação do implante dentário deve ser realizada com a conexão catraca e o torquímetro.

Referências

Szmukler-Moncler S, Piattelli A, Favero GA, Dubruille JH. Considerations preliminary to the application of early and immediate loading protocols in dental implantology. Clin Oral Implants Res 2002; 11(1):12-25.

Cunha HA, Francischone CE, Nary Filho H, Oliveira RCG. A comparison between cutting torque and resonance frequency in the assessmen of primary stability and final torque capacity of standard TiUnite single-tooth implants under immediate loading. Int J Oral Maxillofac Implants 2004; 19(4):578-85.

Nikellis I, Levi A, Nicolopoulos C. Immediate loading of 190 endosseous dental implants: a prospective observational study of 40 patient treatments with up to 2-year data.Int JOral Maxillofac Implants 2004; 19(1):116-23.

Mozzatti M, Monfrin SB, Pedretti G, Schierano G, Basi F. Immediate loading of maxillary fixed prostheses retained by zygomatic and conventional implants: 24-month preliminary data for a series of clinical case reports. Int J Oral Maxillofac Implants 2008; 23(2):308-14.

Cornelini R, Cangini F, Covani U, Barone A, Buser D. Immediate restoration of single-tooth implants in mandibular molar sites: a 12-month preliminary report. Int J Oral Maxillofac Implants 2004; 19(6):855-60.

Misch CE. Densidade óssea: um determinante-chave para o sucesso clínico In: Misch CE. Prótese sobre implantes. São Paulo: Editora Santos; 2006. p. 130-41.

Dos Santos MV, Elias CN, Cavalcanti JH. Efeito da forma e da rugosidade superficial na estabilidade primária de implantes osseointegráveis. Rev Dental Press Periodontia Implantol 2007; 3(2):73-83.

Sakoh J, Wahlmann U, Stender E, Al-Nawas B, Wagner W. Primary stability of a conical implant and a hybrid, cylindric screw-type implant in vitro. Int J Oral Maxillofac Implants 2006; 21 (4):560-66.

Tabassum A, Meijer GJ, Wolke JGC, Jansen JA. Influence of the surgical technique and surface roughness on the primary stability of an implant in artificial bone with a density equivalent to maxillary bone: a laboratory study. Clin Oral Impl Res 2009; 20(4):327-32.

Comentários

comentários