Mini-Implantes Ortodônticos

Técnica Stevão-Netzel de Inserção, por Éber Luís de Lima Stevão e Célio Gilson Netzel

Os mini-implantes ao longo dos anos receberam variados nomes, tais como: parafusos de ancoragem, micro-implantes, ancoragem esquelética, dispositivo temporário de ancoragem, entre tantos outros. Quem publicou pela primeira vez o conceito de empregar parafusos inseridos no alvéolo ósseo, para reforçar a ancoragem tão necessária na Ortodontia, foi Gainsforth e Higley (1945). Eles empregaram parafusos de vitalium na circunvizinha de dentes em cães.Aproximadamente duas décadas depois, Linkow (1967) descreveu o implante endósseo para ancoragem ortodôntica. Roberts et al (1989) empregaram implantes de titânio convencionais na região retromolar para ajudar a reforçar a ancoragem, fechando com êxito os diastemas criados pela extração dos primeiros molares mandibulares. Houve uma evolução tão grande dos dispositivos para ancoragem óssea na Ortodontia, a tal ponto de aparelhos ortodônticos tais como ATP, extra-bucal, etc. serem eliminados da parafernália do ortodontista.Várias técnicas foram descritas na literatura para inserção de mini-implantes para a Ortodontia. Este artigo tem por finalidade demonstrar uma nova técnica para o emprego dos mini-implantes da DSP Biomedical.

Indicação dos mini-implantes

  • Técnica para instalação de mini-implantes ortodônticos Osteofit™ em osso alveolar mandibular e/ou maxilar para ajudar na mecânica ortodôntica;
  • Técnica para inserção manual ou técnica horizontal (90ºem relação à tábua óssea alveolar);
  • Técnica para inserção com conta-ângulo ou técnica vertical.

Instrumental empregado

  • Estojo do kit ortodôntico (ref. 150.0001)
  • Broca lança para contra-ângulo 5 mm (medidas a laser) (ref. 150.2602)
  • Chave de mão com broca lança (montada) (ref. 150.2600)
  • Chave ortodôntica de mão (ref. 150.2500)
  • Chave ortodôntica para catraca (ref. 150.2400)
  • Chave ortodôntica para contra-ângulo (ref. 150.2300)• Chave bidigital (ref. 28.1520)

 

Descrição das técnicas

  • Usar a chave de mão com a broca lança ou a broca lança para contra-ângulo adaptada no contra-ângulo para demarcar a área eleita a receber o mini-implante, medindo, ao mesmo tempo, a profundidade da mucosa, através das marcas à laser presentes na fresa (1, 2, 3 e 4 mm);• a) Fresa manual – sem retirar a fresa após a medição gengival, com leve pressão manual, executar movimentos rotatórios parciais no sentido horário e anti-horário até que o “stop” da fresa entre em contato com a gengiva inserida (Figura 3A);
  • Fresa para contra-ângulo – sem retirar a fresa após a medição gengival, iniciar a perfuração óssea até que o “stop” da fresa entre em contato com a gengiva inserida (Figura 3B). Lembrar de executar o procedimento que emprega rotação com o motor de implantodontia, entre 100 e 200 rpm – rotações por minuto – (Figura 4) sob irrigação para evitar o aquecimento ósseo;
  • Retirar a fresa e iniciar a inserção do mini-implante montado a 90⁰ em relação à tábua óssea alveolar até que o torque desejado seja obtido para possibilitar a retirada do badock (Figura 5ª e 5B). Sabe-se que forças aplicadas em mini-implantes que foram inseridos em posições inclinadas (com menos de 90⁰) levam à perda do dispositivo. Caso não exista espaço interradicular para a inserção de um mini-implante de 1.4 mm, uma técnica ortodôntica muito simples por nós criada, derivada da modificação da técnica de arco segmentado, poderá ser aplicada: instalar braquetes inclinados nos dentes em questão e com um segmento de arco redondo, promover a divergência dos ápices radiculares (afastamento apical) para que o espaço necessário seja aberto (Figura 6ª e 6B).
  • Retirar o badock (Figura 7ª e 7B) e continuar a inserção total do mini-implante empregando a chave ortodôntica de mão ou a chave ortodôntica para catraca e catraca (Figura 8) para a técnica horizontal. A chave bidigital ou a catraca podem ser empregadas para a técnica vertical (Figura 9). A catraca pode ser substituída, a critério do profissional, pelo torquímetro, diminuindo um passo na execução da técnica, podendo ser registrado o torque final de inserção. A chave conexão para contra-Ângulo também poderá ser empregada quando o profissional preferir a inserção do mini-implante ortodôntico Osteofit™ com motor de implantodontia. Executar essa colocação com 14 rpm e contra-ângulo redutor de 1/16 (Figura 10).
  • Empregar na última volta da inserção do mini-implante ortodôntico Osteofit™ o torquímetro manual para obter o registro do toque final de inserção. Com a Técnica Stevão-Netzel®, um torque variando entre 20 a 30 Ncm deve ser tranquilamente obtido para a inserção de qualquer minimplante ortodôntico Osteofit™, dando uma excelente estabilidade primária (Figura 11A e 11B)

Detalhes técnicos importantes

  • O tamanho da cinta (colar cervical) deve ser escolhido de acordo com o tamanho da gengiva inserida que receberá o mini-implante.
  • O uso da catraca ou torquímetro é o último estágio da inserção manual do mini-implante ortodôntico Osteofit™. É possível empregar ¼ de volta de cada vez.• A Técnica Stevão-Netzel® é simples, menos traumática para o paciente, minimamente agressiva aos tecidos ósseo e gengival, e o índice de sucesso esperado é de aproximadamente 100%.
  • O momento da ativação do mini-implante ortodôntico Osteofit™ deve ser a critério do especialista em ortodontia.
  • Normalmente, os mini-implantes ortodônticos Osteofit™ com cintas de 1 e 2 mm, são empregados na técnica de inserção horizontal. As medidas de 3 e 4 mm, para a técnica de inserção vertical.
  • Dispositivos como fio de amarilho, elástico em cadeia e mola ortodôntica podem ser empregados quando a técnica horizontal é empregada. Para a técnica de inserção vertical, os mini-implantes podem ainda receber bráquetes quando uma adaptação em resina fotopolimerizável é executada, além dos dispositivos já citados.
  • Devido à tecnologia da firma DSP Biomedical, empregada para a confecção dos mini-implantes ortodônticos Osteofit™, é possível empregar, ao mesmo tempo, fio de amarilho passando pela perfuração do mini-implante com elástico em cadeia ou mola ortodôntica na haste côncava da cabeça do mini-implante.

Comentários

comentários

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.