Cirurgia Computadorizada (dinâmica): Navegada DSP Imaging System

UNIMAR recebe DSP Biomedical para Diálogo Clínico sobre Cirurgia Navegada.

A DSP Biomedical traz a tecnologia da cirurgia computadorizada para a especialidade da implantodontia e Buco maxilo facial. Cirurgia Assistida por computador ou Computer-assisted surgery (CAS) representa um conceito cirúrgico e um conjunto de métodos, que utilizam tecnologia computacional para o planejamento cirúrgico e para orientar ou realizar intervenções cirúrgicas. Sinônimos para esta tecnologia incluem Cirurgia assistida por computador, Intervenção assistida por computador, Cirurgia guiada por imagem, Navegação cirúrgica. No consenso de procedimentos assistidos por computador, estabeleceu a denominação : cirurgia computadorizada (dinâmica).A cirurgia computadorizada (navegada) consiste da visualização imediata da anatomia real do paciente com a combinação das imagens 3D adquiridas pela tomografia computadorizada exibidas em um monitor atualizados em tempo real pelo rastreamento de movimentos dos instrumentais cirúrgicos pelo sistema de rastreamento tridimensionais minimizando a morbidade pós-operatória, auxilia o cirurgião na fresagem e instalação de implantes com precisão de acordo com o planejamento pré-operatório em software, evita danos as estruturas críticas oportuniza o processo cirúrgico flapless, reduz a manipulação de tecidos moles. Esta modalidade cirúrgica se fundamenta fisicamente pelo sistema de coordenadas no plano cartesiano. Também conhecido como espaço cartesiano que é um esquema reticulado necessário para especificar pontos num determinado “espaço” com dimensões. Um processo de registro de pontos (marcadores fiduciais) é necessário para integrar um ponto idêntico (coordenadas cartesianas x,y,z) no paciente real (coordenada cartesiana X,y,z) com o paciente virtual ( coordenada cartesiana x,y,Z) nas cirurgias CAS para que a cabeça e os instrumentais cirúrgicos possam ser movidos livremente no espaço bem como a navegação ser vista no monitor do computador que armazena o sistema. A concepção Precisão Aumentada decorre da tecnologia LED Ativa integrada do IRIS 100 navegador utilizado pela DSP Biomedical, pois o rastreamento é completamente fluente em todas as direções possibilitando ao operador orientação do posicionamento (ângulo e profundidade) dos instrumentais cirúrgicos, sem efeito LAG (atraso na comunicação entre 2 aparelhos). A tecnologia do software adotada pela empresa possui interfaces intuitivas, fluxo de trabalho automatizado e imagens avançadas que oferecem facilidade de uso e possibilitam alteração do planejamento no trans-operatório rapidamente em contingência a alguma  intercorrência cirúrgica.

Termos pertinentes aos Procedimentos Guiados por Imagens: 

1 – Marcadores Fiduciais

Marcadores fiduciais são pontos de referência estáveis no paciente. Marcadores fiduciais devem ser no mínimo 4 Pontos distribuídos a uma distância mínima entre eles, que permita a leitura pelo navegador sem sobreposição  quando do registro e distribuídos de forma não lineares considerando a altura, largura e profundidade que terá como resultante o volume

Das estruturas a ser operada em 3 dimensões.

Eles podem ser classificados em dois tipos: invasivos e não invasivos. Os invasivos são marcadores são compostos de materiais que os tornam visíveis nos conjuntos de Imagens fixado as áreas de interesse do procedimento antes da tomografia computadorizada ser executada e ser mantido ate o momento do procedimento estar completo como por exemplo parafusos de fixação de enxerto, taxinhas de estabilidade de membrana. Não invasivos são marcos anatômicos específicos pontas de cúspide, pontos anatômicos na oclusal dos dentes, pontos anatômicos na estrutura óssea) e ou aparatos metálicos colados nas estruturas dentais como por exemplo braquets ortodônticos.  

2- Posicionamento do navegador

O navegador é posicionado a uma distância aproximada de 1 metro do lado medial, formando um ângulo aproximado de 90 graus do  local a ser operado.

3- Registro

Registro é o mapeamento dos pontos fiduciais por uma sonda (probe), para que o espaço físico ser sobreposto as imagens, no software, permitindo assim que a localização atual do instrumental cirúrgico seja mostrada em uma tela de computador exibindo imagens em tempo real A precisão do mapeamento entre espaço físico e imagem depende da precisão com que os marcadores fiduciais foram localizados em cada sistema de coordenadas. A precisão é definida pela diferença, em milímetros, Entre as coordenadas virtual e real

4- Dispositivo de referência dinâmica (DRF –Dynamic Reference Frame)

E um dispositivo fixo na área de interesse a ser operada permitindo a movimentação da cabeça do paciente durante o processo de navegação com objetivo de manter o enquadramento estabelecido pela calibração dos pontos  fiduciais.

5-  Dispositivo de localização intra operatória (ILD- Intraoperative localization Device )

Permite a calibração dos instrumentais cirúrgicos a partir deste ponto conhecido como : Ponto 0 (zero), validando a probidade (exatidão) dos mesmos. Este dispositivo usualmente  e uma concavidade do tamanho da ponta do probe e se localiza em alguma parte do corpo do dispositivo de referência dinâmica. 

6-Erro de localização fiducial  ( FLE – Fiducial localization Error)

Erro de localização fiducial e referente a posição dos Pontos fiduciáis, que é a distância quadrática média entre Os????????? fiduciárias homólogos após o registro não foi alcançada. Acontece pelo numero inferior a 5 pontos e Distribuição na arcada dos pontos desconsiderando a altura, largura e profundidade.

7-Erro de registro de alvo  (TRE- Target registration error )

 Erro de registro descreve a discrepância entre os pontos fiduciáis reais e os pontos virtuais. Quando se faz o registro através da sonda (probe) os pontos fidúciais são numerados e conciliados no software automaticamente, e o próprio sistema calcula se o real esta igual ou diferente ao virtual. A discrepância maxima permitida de valores, e relativa a área anatômica a ser operada, mas na implantodontia se admite entre 0,5mm a 1mm de tolerância. 

8- Calibração

A calibração e o ajuste do erro de registro de alvo (TRE) para que a precisão das leituras dos pontos fiduciáis se relacione dentro do valor considerado como tolerância se durante o registro não se o atingiu. Se inicia de um ponto de referência conhecido como Ponto 0 (Zero).

Principais tecnologias envolvidas em Procedimentos Guiados por Imagem (IGP)

1- Imaginologia

2- Processamento de imagens 

3- Segmentação 

4- Registro

5- Sistemas de rastreamento

6- Interação do computador ao sitia cirúrgico. 

Para o processo de Navegação cirúrgica  acontecer é necessário 

1- Marcadores ( Pontos fiduciais) 

2- Tomografia computadorizada 

3-  Software Especifico

4- Sistema de rastreamento tridimensional

O Gerente Comercial da DSP Biomedical  Willdner de Lara apresentou as possibilidades reabilitadoras com uso de implantes, instrumentais e componentes da referida empresa aos alunos de odontologia  da UNIMAR no ultimo período da graduação juntamente com Vanderlei Sartori Executivo de vendas que atua no estado de São Paulo. A apresentação das tecnologias inerentes aos procedimentos cirúrgicos assistidos por computador ficou a cargo de Dibson Rodrigues Gerente de TI e desenvolvimento de aplicabilidade clinica  desta modalidade com uso de navegador cirúrgico na DSP Biomedical e DSP Science training Center ( Campo Largo -Pr). Esta equipe alem do dialogo clinico coordenou hands on com implantes e acesso aos presente de manuseio do equipamento do sistema DSP Imaging System. 

c4256d11-16cf-4d92-bf00-facd4899fe86

Dibson Rodrigues, Gerente de TI da DSP Biomedical, apresentando na prática os conceitos da Cirurgia Navegada

 

Fica por parte da DSP Biomedical a  gratidão a Prof. Dra Rachel Gomes Eleutério docente na cadeira implantodontia na Instituição UNIMAR- Marilia-SP, e o reconhecimento do departamento cientifico pela busca da mesma em oferecer caminhos diferenciados aos seus dicentes e comunidade odontologica possibilitando acesso a tecnologias inerentes a odontologia que gera diferencial a esses futuros e já profissionais posicionados  no mercado de trabalho  pela social inovação.

 

Referências

AL-MEFTY O.; PRA VDENKOV A S.; GRAGNANIELLO C. A technical note on endonasal combined microscopic endoscopic with free head navigation technique of removal of pituitary adenomas. Neurosurg Rev, v.33, p.243–249, 2010.

HONG J., et. al. Medical Navigation System for Otologic Surgery Based on Hybrid Registration and Virtual Intraoperative Computed Tomography. IEEE Transactions on Biomedical Engineering, v. 56, n. 2, Fevereiro 2009
Hammerle CHF, Stone P, Jung RE, et al. Consensus statements and recommended clinical procedures regarding computerassisted mplant dentistry. Int J Oral Maxillofac Implants. 2009; 24 (Suppl): 126-130.

JYRKINEN L. et. al., Managing the Complexity of the User Interface of a MRI Guided Surgery System, 6th ERCIM Workshop “User Interfaces for All”, CNR-IROE, Florence, Italy p. 25-26, Outubro, 2000.

KNOTT P. D.; BATRA P. S.; CITARDI M. J. Computer Aided Surgery: Concepts and Applications in Rhinology. Otolaryngol Clin N Am, v.39, p. 503–522, 2006.

MILKI N. J. Análise da precisão de um sistema de navegação óptica para cirurgia assistida em implantodontia : resultados preliminares. Tese de Doutorado em Biologia Oral – área de concentração: Implantologia – Universidade Sagrado Coração – Bauru – SP. 2011.

WILDMANN G., et al. Computer-Assisted Surgery in the Edentulous Jaw Based on 3 Fixed Intraoral Reference Points. J. Oral Maxilofac Surg v. 68, p. 1140-1147, 2010.

WILDMANN G.; STOFFENER R.; BALE R. Errors and error management in image- guided cranimaxillofacial surgery. Oral and maxillofacial radiology, v. 107, Issue 5, p. 701-715, May 2009.

ZHENG G., et. al. Frameless optical computer-aided tracking of a microscope for otorhinology and skull base surgery. Archives of Otolaryngology – Head & Neck Surgery, v.127, n.10, p. 1233 – 1238, 2001.