Soluções protéticas sobre implantes Cone Morse

02

Os implantes do sistema Cone Morse oferecem inúmeras soluções protéticas, porém quando se pretende fazer próteses parafusadas ou cimentadas, tanto em casos unitários como múltiplos, algumas empresas, dentro de seus sistemas, não apresentam soluções protéticas práticas, estéticas e funcionais.
Quando procuramos essas soluções, do ponto de vista laboratorial, felizmente hoje, com poucas exceções de incompatibilidade, as empresas nos oferecem soluções para inúmeros casos. No caso apresentado, a Empresa DSP Implants, ofereceu uma solução simples, estética e funcional.
A paciente, M.A.B.C, sexo feminino, 61 anos de idade, apresentou-se na situação atual clinica com mordida incorreta, dimensão vertical alterada e desvio mandibular (Fig 1). Inicialmente, após o exame da radiografia panorâmica (Fig 2), procuramos embasar estas peças protéticas com condicionador de tecido, reposicionando a mandíbula. Na história clínica, a paciente relata dois infartos do miocárdio, cardíaca, diabética e pressão arterial alterada para mais (controlada por medicamento).

No passado, foram instalados quatorze implantes, sendo que hoje permanecem apenas cinco destes implantes no arco inferior e um implante no arco superior. Em função da fragilidade da saúde da paciente, foi adotado um planejamento o menos invasivo possível e o mais conservador, optando-se por soluções protéticas ativadas nos implantes remanescentes.
A opção no arco superior foi a colocação de uma coroa telescópica no 27 (Fig 3) e a instalação no 21 de solução protética Flex Cone, da DSP Implants, com ativação de micro o’ring (Fig 4 e 5), ativando assim uma prótese overdenture, que, por se tratar de um único implante, exercerá menos força sobre o implante.
No arco inferior foram aproveitados os cinco implantes (em função da história clínica da paciente), utilizando-se a solução protética Munhão Parafusado para Cone Morse com base cobalto/cromo da DSP Implants, sobre a plataforma protética dos cinco implantes.

Estes Munhões, que possuem a base em cobalto/cromo e corpo calcinável, permitiram ao laboratório protético fundir pilares nas proporções necessárias para cada implante, de acordo com suas posições e alturas (Figs 6, 7).

Estas soluções instaladas sobre os implantes (Ankylos) foram adotadas em função das alturas e posições protéticas necessárias, além das limitações de saúde da paciente.
Como resultado final, observam-se as condições de eficiência do componente utilizado para que estas próteses pudessem ser parafusadas, dificilmente encontrada em outros sistemas, principalmente em se tratando de sistema Cone Morse. Na figura 8, podemos observar a função e a estética estabelecidas ao final do caso.

03 04 05

Comentários

comentários